JULIA ESTHER E O PRÍNCIPE LAGARTO

A história a seguir foi escrita com a colaboração de 10 alunos da 7ª Série B:
Eric Silva, Felix Henrique, Gleyciane Santos, Humberto Lima, Larissa Alves, Lucas Henrique, Mariana Oliveira, Mikaely Santos, Wagner Silva e Wesley Andrade.

JULIA ESTHER E O PRÍNCIPE LAGARTO
Julia Esther tinha apenas oito anos quando seus pais faleceram. Desde então, ela passou a morar nas ruas e, para se alimentar, costumava bater de porta em porta na esperança de que uma alma generosa lhe desse algo para comer. Embora ela fosse muito bonita e simpática, na maioria das vezes, as pessoas a enxotavam, não se importando com o seu sofrimento.

Certo dia, uma mulher muito má, fingindo-se de boazinha, deixou que ela almoçasse em sua casa. Mas depois ordenou que ela começasse a trabalhar, e disse-lhe que aquele prato de comida lhe custaria muito caro.

A garotinha chorou a noite toda, deitada no chão frio da cozinha daquela mulher sem coração. Entretanto, na manhã seguinte, algo inesperado aconteceu. Para evitar que a menina escapasse, a mulher havia trancado as portas e janelas antes de ir dormir; mas, quando ela acordou, onde estava a garota?… Havia desaparecido misteriosamente.

Para a mulher, o desaparecimento de Julia Esther continua sendo um mistério até hoje. Poucos sabem o que realmente aconteceu; um amigo meu contou-me a história toda.

Na época em que a pequena Julia Esther ainda morava nas ruas; certa noite, ela estava deitada à margem do rio contemplando as estrelas, quando ouviu um ruído provocado por algo que se agitava na água. Ela ficou com muito medo, quando um lagarto enorme deixou o rio e se locomoveu em sua direção. Ela só não saiu correndo porque o medo, com suas mãos invisíveis, a segurava. Contudo, a garotinha recuperou a voz e os movimentos ao ouvir o lagarto dizer:

– Não tenha medo, Julia, porque sou seu amigo. Sempre que você vem dormir à margem deste rio, eu fico velando o seu sono. Sou um príncipe que uma feiticeira invejosa aprisionou neste corpo de animal. Se um dia você precisar de mim, é só dizer três vezes: “Lagarto amigo, venha me ajudar.”

Você já deve ter imaginado que foi exatamente isso o que a garotinha fez antes que o dia clareasse. Ela mal havia terminado de pronunciar a frase três vezes, quando três duendes apareceram para ajudá-la. Eles se chamavam: Pedro, Paulo e José. Os três eram bonzinhos, embora Pedro fizesse cara de mau, e Paulo gostasse de ficar dando ordens aos outros dois.

A verdade é que Julia simpatizou-se mais com José, que tinha um enorme coração. Foi ele quem lhe disse:

– Nosso amado príncipe ordenou que a levássemos à floresta encantada e a tratássemos como uma princesa. Ele espera que você possa se apaixonar por ele e quebrar o encanto quando crescer.

O tempo passou, Julia Esther cresceu e tornou-se uma jovem adorável. Ela tratava o lagarto como se fosse seu animalzinho de estimação; e, um dia, ela chorou muito ao perceber que ele havia se ferido em uma armadilha que estava à espera de um lobo ou de algum outro animal selvagem.

As lágrimas de Julia revelaram seu amor pelo príncipe lagarto, e o encanto foi quebrado. Ela se emocionou ao ver o belo e gentil príncipe libertar-se da grossa pele de lagarto, que se rompera.

O final da história não poderia ser outro: eles se casaram e viveram felizes para sempre.

FIM

Sisi Marques & Colaboradores

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in HISTÓRIAS (ALUNOS). Bookmark the permalink.

Leave a Reply