EDVALDO E O GIGANTE QUE GOSTAVA DE OUVIR HISTÓRIAS

Baixinho!… Edvaldo detestava ser baixinho!… Na escola, não havia garoto mais baixo do que ele. Se ele fosse alto, ele poderia ser até gordo… Mas baixinho!… Caminhando, embalado por esses pensamentos, Edvaldo assustou-se quando ouviu um grito. Desconfiado, ele olhou para os lados e não viu ninguém. Ele se preparava para dar o próximo passo, quando ouviu alguém gritar: “Cuidado! Olhe onde pisa!…”

Edvaldo, espantado, segurou o pé no ar, e ficou perplexo ao ver aquele ser minúsculo. Ele se ajoelhou e fixou o olhar no homenzinho. Surpreendeu-se ao ouvi-lo dizer: “Vim buscá-lo. Você precisa me seguir. O reino onde moro foi invadido por um gigante que gosta de ouvir histórias, e você deve ir lá para ensiná-lo a ler. Os meus amigos e eu não aguentamos mais ficar dia após dia inventando histórias para aquele grandalhão insaciável!…”

Edvaldo estendeu a mão enquanto dizia: “Suba aqui. Eu o levarei à minha casa para que possamos conversar.” O homenzinho recusou-se a subir na mão de Edvaldo. Disse: “Eu já compreendi: você não ousaria atravessar o portal que o conduziria ao meu reino. Você ainda é muito jovem e não se afastaria de seus pais. Eu já sei o que faremos: enviarei o gigante para esta dimensão, e você o hospedará em sua casa e o conduzirá à escola. Amanhã você o encontrará nesta mesma hora, neste mesmo lugar.” Sem esperar pela resposta de Edvaldo, o homenzinho desapareceu.

No dia seguinte, quando retornava da escola, Edvaldo passou por aquela mesma rua. Ele não acreditava que fosse encontrar um gigante barrando o seu caminho. Ele contou a história toda a seus pais, e eles disseram que tudo não passara de uma peça que a sua imaginação lhe pregara. Ele caminhava distraído quando um garoto, poucos centímetros mais baixo do que ele, começou a segui-lo a passos largos e logo o alcançou. Edvaldo ficou intrigado quando o ouviu dizer: “Você é um gigante ainda maior do que eu. Se você aprendeu a ler, eu também consigo… Tive que adquirir esta aparência de garoto para que ninguém desconfiasse que tenho cento e trinta e nove anos. Eu sou louco por histórias, e os homenzinhos me aborrecem porque contam quase sempre a mesma história. Depois que eu aprender a ler, levarei muitos livros para a minha dimensão.”

Com o passar do tempo, Edvaldo e o gigante tornaram-se amigos, e Edvaldo nunca mais reclamou de sua estatura. Como ele poderia se considerar baixinho, se era ainda mais alto do que um gigante?!…

b carimbo 1

Se você ainda não leu o poema “O GIGANTE QUE GOSTAVA DE OUVIR HISTÓRIAS”, clique no link abaixo:

http://felizardorealidademagica.com.br/?p=2809

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in HISTÓRIAS COMPLETAS. Bookmark the permalink.

Leave a Reply