LÁGRIMAS DE AMOR (Capítulo II)

No dia seguinte, enquanto Marco esperava por Laura, suas mãos começaram a brincar com a água do riacho.

A Fadinha Cesarina, curiosa, espreitava-o, escondida entre a folhagem. Sua respiração estava suspensa… Seu olhar parecia hipnotizado… Cesarina não conseguia despertar daquele momento de enlevo. O rosto de Marco, refletido na água do riacho, a encantava. Tudo naquele rosto lembrava o Sol: os cabelos dourados caindo até os ombros, os olhos castanho-claros… Sua pele e seus lábios pareciam quentes, acetinados… Seria ele a personificação de uma estrela?!…

Cesarina só conseguiu despertar do encantamento após a chegada de Laura. Uma pontinha de ciúme espetava-lhe o coração, desfigurava-lhe o semblante.

Laura, por sua vez, que nem suspeitava da presença de Cesarina, contou a Marco sobre o seu encontro com a misteriosa Fadinha.

Depois de ouvi-la atentamente, Marco exclamou embevecido:

– As minhas preces foram ouvidas! Quando poderei conhecer Bartolomeu?

Com um sorriso, Laura respondeu:

– Amanhã.

Cesarina só abandonou o seu posto, quando viu Marco partir. Um plano doentio começava a tomar forma em seu cérebro; precisava falar com Bartolomeu. Fechou os olhos e transportou-se para junto dele.

Ao vê-la, Bartolomeu largou o que estava fazendo e exclamou mal-humorado:

– Mas será possível que você não confia na minha palavra! Já não lhe disse que amanhã visitarei aquele tal Marco?

Cesarina respondeu friamente:

– Eu sei que pretende vê-lo; foi, exatamente, por esse motivo que voltei. Quero que o faça prometer que atenderá a um pedido meu.

Intrigado, Bartolomeu perguntou:

– O que está tramando? Desde quando você negocia favores? Pensei que gostasse de ajudar.

Com um brilho estranho no olhar, Cesarina disse:

– Dessa vez, será diferente.

Bartolomeu não conseguiu calar a pergunta:

– E o que pedirá a ele?

Satisfeita, Cesarina respondeu prontamente:

– Que se case comigo. Mas preste muita atenção: você só comunicará o meu desejo depois que o tiver ajudado.

Bartolomeu exclamou entre irônico e perplexo:

– Devo estar ficando velho e surdo. Será que ouvi bem?

Impassível, Cesarina respondeu:

– Ouviu. É exatamente isso que você fará.

Bartolomeu vociferou:

– Ficou maluca?! Consegue imaginar as consequências desse seu desvario?! Uma traição dessas, certamente, não ficará impune.

Dando de ombros, Cesarina exclamou:

– Dessa parte, cuido eu! Agora por que não relaxa e termina o seu quadro?… De tanto praticar, algum dia, talvez, você ainda acabará pintando algo que valha a pena contemplar.

Cesarina desapareceu antes que Bartolomeu tivesse tempo de retrucar.

FIM DO 2º CAPÍTULO DA HISTÓRIA “LÁGRIMAS DE AMOR”.
Sisi Marques
02/12/2013

NO PRÓXIMO SEGMENTO, NÃO PERCA A CONTINUAÇÃO DA HISTÓRIA “LÁGRIMAS DE AMOR”.
Grata,
Sisi Marques

Que os seus sonhos se realizem!

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in LÁGRIMAS DE AMOR. Bookmark the permalink.

One Response to LÁGRIMAS DE AMOR (Capítulo II)

  1. Lúcia says:

    Curiosa para ler os outros capítulos!!! Adorando!!!!!!

Leave a Reply