LÁGRIMAS DE AMOR (Capítulo I)

Marco, desde o primeiro dia em que avistou Laura pastoreando seu pequenino rebanho, compreendeu que já não era mais dono nem de seu coração, nem de seus pensamentos. Amava-a com todas as forças de seu ser, e não havia um dia em que não contasse os minutos que faltavam para poder encontrar-se com ela. Em uma dessas ocasiões, disse-lhe pesaroso:

– Se o Reino não estivesse sob a ameaça de ser assolado por aquele gigante impiedoso, eu já teria pedido ao seu irmão que consentisse o nosso casamento. Não posso torná-la Rainha antes de tê-lo derrotado, porque não quero colocá-la em perigo.

Laura, apreensiva, comentou:

– É porque você sabe que não poderá vencê-lo. Ouvi dizer que ele sempre deixa um rastro de destruição aonde quer que vá. Não seria melhor recuar?

Marco, abandonando a sombra da árvore, sentou-se à margem do riacho; e, mirando a água cristalina, exclamou:

– O que espera que eu faça?!… Não posso pedir a todos que abandonem os seus lares, simplesmente, porque, certo dia, uma desconhecida aproximou-se inesperadamente e disse-me que o Reino seria atacado pelo Homem-Montanha!

Laura, com o semblante contraído, perguntou:

– Não seria mais sensato?

Levantando-se e começando a caminhar para conter a sua agitação, Marco exclamou:

– Sensato, Laura?! Não creio! Tanto quanto eu, eles amam este lugar e não sairiam daqui por nada deste mundo.

Esforçando-se para não chorar, Laura murmurou:

– Eles não podem amar este lugar mais do que suas próprias vidas.

Quando Marco se foi, Laura, alheia a tudo, ainda segurando a rosa branca que Marco lhe dera, começou a chorar. Suas lágrimas, porém, ao caírem sobre a flor, despertaram, de seu sono, uma minúscula fadinha que, levantando-se e debruçando-se sobre as pétalas, exclamou depois de um delicado bocejo:

– Veja só: foram suas lágrimas que me arrancaram de doces sonhos… E eu pensando que estivesse chovendo!… Posso saber o que foi que a deixou tão triste?

Laura, encantada com a formosa criaturinha de asas rendadas, perguntou:

– Já ouviu falar no gigante Tortulho, também conhecido por Homem-Montanha?

Visivelmente interessada, a Fadinha respondeu:

– Não; mas deixe-me adivinhar… Está apaixonada por ele e gostaria que eu o encolhesse… Pode começar a pensar em outra coisa, porque aí está algo que não sei fazer.

Enxugando as lágrimas e ensaiando um sorriso, Laura exclamou:

– Não é nada disso! Eu gostaria que ele encolhesse sim, mas apenas para evitar que apagasse o sol que aquece o meu coração.

Balançando a cabecinha, a Fadinha comentou:

– Você é ainda mais tola do que eu pensava! Não existe ninguém capaz de atingir o Sol e esmagá-lo com as mãos. De onde foi tirar essa ideia tão absurda?!…

Laura, um pouco encabulada, explicou:

– Não me referia ao Sol-estrela; estava pensando em Marco.

A Fadinha, após um gesto de impaciência, exclamou:

– Tola sou eu! Eu já deveria ter imaginado que era sobre um desses mortais que você estava falando. Parece que são sempre eles o motivo das lágrimas!… Responda-me: quanto mede esse tal Tortulho?

Deixando transparecer a sua incerteza, Laura disse:

– Quinze metros, talvez. Eu nunca o vi; mas já ouvi dizer que ele é uma verdadeira máquina de destruição.

Para a surpresa de Laura, a Fadinha declarou satisfeita:

– Então, não há mais problema, porque conheço alguém que está me devendo um favorzinho, e esse alguém tem o dom de esticar-se até a altura que desejar. Quando o seu gigante Tortulho se deparar com o meu amigo Bartolomeu, não creio que terá coragem de enfrentá-lo.

Laura, ainda temerosa, perguntou:

– E se ele ousar enfrentá-lo?

Depois de um sorriso maroto, a Fadinha respondeu:

– Pobrezinho!… Bartolomeu acabará com ele.

Laura e a Fadinha Cesarina ainda ficaram conversando por um bom tempo. Laura estava radiante; mal podia esperar para dizer a Marco que Tortulho, finalmente, havia encontrado um adversário à sua altura.

FIM DO 1º CAPÍTULO DA HISTÓRIA “LÁGRIMAS DE AMOR”.
Sisi Marques
30/11/2013

NO PRÓXIMO SEGMENTO, NÃO PERCA A CONTINUAÇÃO DA HISTÓRIA “LÁGRIMAS DE AMOR”.
Grata,
Sisi Marques

Que os seus sonhos se realizem!

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in LÁGRIMAS DE AMOR. Bookmark the permalink.

3 Responses to LÁGRIMAS DE AMOR (Capítulo I)

  1. Lucia says:

    Que comeco, hem!!! Vou seguindo com vc… Suas historias sao encantadoras!!! Adoro passar por aqui! Preciso vir mais vezes!

    Sisi, vc bem poderia me ajudar no blog de historias. Vc tem historias pequenas? Eu queria muito revitalizar esse blog. O que vc acha? Bjs

  2. Sisi Marques says:

    Lucia,
    Eu me apaixonei pelo Blog “HISTÓRIAS DE LU & TECA” logo na primeira visita. Mas nunca imaginei que, um dia, ele seria o palco de uma de minhas histórias. Eu estou felicíssima e agradeço a oportunidade.
    Nas categorias “HISTÓRIAS COMPLETAS”, “HISTÓRIAS QUE CABEM NAS PALMAS DAS MÃOS” e “POEMAS QUE CONTAM HISTÓRIAS”; encontram-se as histórias menores. Sinta-se à vontade para utilizá-las.
    Eu poderia sugerir 4, mas não sei se elas seriam do seu agrado:
    “A CORUJINHA QUE NÃO SABIA LER”;
    “O LAMENTO DO PRÍNCIPE SOLITÁRIO”;
    “AS CRIANÇAS E A BRUXA ROSNILDA”;
    “O GIGANTE QUE GOSTAVA DE OUVIR HISTÓRIAS”.
    Obrigada novamente. Que o domingo lhe proporcione muitas alegrias, como esta que você me proporcionou. Beijos

  3. THAINA says:

    Nossa, a cada dia este blog está ficando mais interessante. Prof parabéns e continue sempre assim. Eu torço q a senhora consiga lançar um livro. Eu iria ser sua fã 2, pq a número 1 é a Ketlyn…
    Parabénssss……….

Leave a Reply