QUE PARTE DE MIM É ESSA QUE SE INFLAMA?

Que parte de mim
É essa que se inflama
E me faz parecer
Uma tocha humana?

Eu me exalto
E saio do meu centro.
E, nem por um momento,
Penso em retroceder.

Se a minha essência é dócil,
Que parte de mim se rebela
E se exaspera, falando em um tom
Que a minha voz não consegue alcançar?

A minha voz não se sustenta e morre.
A ira insana queima a minha garganta,
E poderia destruir as amizades que cultivei.

Mas, felizmente, amizades sinceras
Não são destruídas, assim, tão facilmente.
E as lágrimas se desprendem dos meus olhos
Quando percebo que os amigos compreenderam
O meu desabafo naquele momento de fragilidade.

O que eu digo parece exagero,
Mas eu não me desculpei
E não admiti o erro,
E, ainda assim, eles souberam
Me valorizar e me perdoar.

Só depois, eu me desculpei
Com quem soube abrandar
O rigor da chama.

Dizer que sou humana
Não justifica a minha
Reação tempestuosa.

Se não foi a minha essência,
Que parte de mim reagiu
Daquela forma?

Hoje quando acordei,
Uma semana depois
Do incidente, pensei:

“Devo calar a minha mente,
E jogar baldes de água fria
Nesse meu lado incandescente.”

Que parte de mim
É essa que se inflama?…
Se não é a minha essência,
Será que é o meu ego quem
Sorrateiramente se insinua?…

Quando reagi bombasticamente,
Imaginei estar me protegendo.
Mas agora compreendo
Que coloco a minha vida em risco
Toda vez que entro em combustão.

Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in POEMAS ESPIRITUALISTAS. Bookmark the permalink.

One Response to QUE PARTE DE MIM É ESSA QUE SE INFLAMA?

  1. Lúcia says:

    Sisi,
    Eu acredito que os rompantes que temos em certas ocasiões fazem parte do ser humano. Viver não é fácil! Vivemos, hoje em dia, pressionados, cobrados e por aí vai…
    Mas, o mais nobre é vc reconhecer que errou e desculpar-se! Isso, pra mim, é caráter!
    Temos um lado, que realmente, é impaciente, ansioso, que se inflama com as injustiças, que não aceita as maldades, … Mas, de alguma forma temos que saber controla-lo. De que maneira? Só com a maturidade iremos adquirir o discernimento do que é certo ou errado. Amei o poema! Bjs e um lindo domingo!

Leave a Reply