CONTESTAÇÃO DO MEU JULGAMENTO

Com tantos talentos, eu, Caetano Augusto Petrarca dos Anjos, fui escolher logo o ofício de contador de histórias!… Como é difícil agradar às pessoas! Elas reclamam de tudo! Realçam os defeitos e ignoram as virtudes! Agora começaram a postar comentários no blog, questionando a minha decisão de considerar a história de Gabriela a mais criativa. Definitivamente, eu não deveria ter publicado a história de Gabriela no blog. Agora os leitores ficam dizendo que o início da história está incorreto: “Celina não se perdeu na fazenda da avó; ela se escondeu na árvore do duende.” Em parte, eu concordo. Mas é bem possível que ela tivesse se afastado da casa, e o duende a tivesse encontrado e a tivesse levado para sua árvore. De qualquer modo, a estrutura básica fornecida é flexível, e poderia ter sido modificada. Ela serviu apenas para dar sustentação à história. Além disso, o texto é sempre submetido a várias revisões. Imaginem só se eu pedisse para vocês criarem uma história a partir do título!… O título inicial serviria apenas para atrair as ideias. Eu mesmo escolho o título somente depois que terminei de escrever a história. Lembrem-se: as histórias têm vida própria. Se elas tiverem clareza, sentido e coesão, serão como as canções que gostamos de ouvir, e jamais permitiríamos que fossem modificadas.

Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in HISTÓRIAS QUE CABEM NAS PALMAS DAS MÃOS. Bookmark the permalink.

Leave a Reply