O LENHADOR LEONARDO E A ÁRVORE ENCANTADA (Parte 14)

Enquanto o rei conversava com a princesa Valéria, Léo pensava na princesa Deise e na arvorezinha. Nunca imaginou que o seu amor pela princesa poderia fazê-lo sofrer ainda mais do que o seu amor pela arvorezinha. Visivelmente nervoso, socava as palmas das mãos alternadamente, em angustiante expectativa.

Quando o rei retornou, parecia bastante preocupado. A carregada expressão em seu rosto levou Léo a deduzir que a princesa Valéria não havia desmanchado aquele noivado infeliz. Como o rei permanecia calado, Léo ousou perguntar:

– Vossa Majestade conseguiu convencê-la?

O rei, com o olhar distante, respondeu:

– A situação é ainda mais delicada do que imaginávamos.

A passividade do rei aumentava a ansiedade de Léo, que, não conseguindo mais se conter, perguntou impaciente:

– Mas Vossa Majestade não lhe contou que estou apaixonado pela princesa Deise?

– Não seria prudente. Meu jovem, preciso que me traga aqui aquele bruxo imediatamente.

Léo não conseguia adivinhar o motivo que levava o rei a solicitar a presença do bruxo. Desgostoso por imaginar que o rei não estava disposto a ajudá-lo a livrar-se do compromisso assumido com a princesa Valéria, Léo ousou desafiá-lo:

– Prometi ao bruxo que o deixaria em paz. Se Vossa Majestade deseja mesmo que ele venha, ordene a outro que vá buscá-lo.

O rei, surpreso e confuso, exclamou:

– Não pode se recusar a trazê-lo aqui! O que deu em você? Não percebe que preciso de sua ajuda?!…

– Não a terá. Vossa Majestade quer apenas que eu me torne um joguete em suas mãos, e um animalzinho de estimação para aquela sua princesinha mimada!

– A paixão obscurece o seu raciocínio. Não sabe o que está dizendo. Ouça bem, sou tolerante e não levarei em consideração as bobagens que disse. Parta imediatamente, e não revele a ninguém que está saindo à procura do bruxo. Isto tem que ser mantido em sigilo absoluto. Confie em mim, e não se arrependerá.

A voz da intuição advertiu Léo de que seria mais sensato obedecer ao rei. Entretanto, em sinal de protesto, ele partiu sem dizer uma palavra.

(No próximo segmento, não perca a Última Parte da história “O Lenhador Leonardo e a Árvore Encantada”.)

Grata,
Sisi Marques

Que os seus sonhos se realizem!!!

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in O LENHADOR LEONARDO E A ÁRVORE ENCANTADA. Bookmark the permalink.

Leave a Reply