O PRÍNCIPE GERVÁSIO E A GAIOLA DOURADA (Parte 15)

Enquanto os guardas vasculhavam a mata para encontrar Luísa, Leôncio foi procurar o príncipe. Disse-lhe:

– Vim saber se está feliz com a notícia.

Olhando-o com altivez, o príncipe retorquiu:

– Se me disser exatamente o que aconteceu, talvez eu possa satisfazer a sua curiosidade.

Exalando o cheiro fétido da ironia, Leôncio comentou:

– Ah, como sempre, Vossa Alteza conseguiu permanecer alheio ao que se passava… Nem mesmo todo aquele alarido foi capaz de aguçar-lhe a curiosidade.

Gervásio permanecia calado. E Leôncio, olhando ao redor, perguntou desconfiado:

– Onde está Luciano?

– Saiu para averiguar o que estava ocorrendo.

– Como ele ainda não retornou, eu lhe fornecerei a informação: Luísa fugiu. Sabe o que acontecerá a ela quando voltar?!… Ela será minha, Gervásio… Luísa será minha antes do amanhecer.

Os olhos do príncipe, ao contemplar o delírio de Leôncio, ardiam como flechas incandescentes.

Gervásio se sentia aflito e impotente diante da situação que a sua insegurança e o seu ciúme haviam criado.

(No próximo segmento, não perca a 16ª Parte da história “O Príncipe Gervásio e a Gaiola Dourada”.)
Grata,
Sisi Marques

Que os seus sonhos se realizem!!!

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in O PRÍNCIPE GERVÁSIO E A GAIOLA DOURADA. Bookmark the permalink.

Leave a Reply