O BRUXO E A BRUXINHA QUE FINGIAM SER MAUS

Era uma vez um bruxo mau,
Muito mau que, para sobreviver
Em meio a outros bruxos, dizia:
“Se vocês são maus, eu posso
Ser ainda pior do que vocês.”

Mas, interiormente, o bruxo chorava e sorria.
Chorava porque a sua atitude o desagradava,
E sorria porque a sua atitude convencia
Os outros bruxos de que ele era
Verdadeiramente mau.

Na floresta dos bruxos, também havia uma bruxinha
Que não era má, mas que precisava parecer má,
Para sobreviver em meio a tantas outras bruxas.
E ela, bela como era, precisava maquiar-se para
Parecer feia e dizia, abaixando as sobrancelhas:
“Se vocês são más, eu posso ser ainda pior
Do que vocês todas juntas, mil vezes pior.”

E até mesmo o bruxo que fingia ser mau
Acreditava que a bruxinha fosse má de verdade.
Mas, para a felicidade dos dois, certo dia,
Os seus olhos se encontraram, e eles se apaixonaram.

Continuar vivendo na floresta dos bruxos,
Eles não mais desejavam, e os dois fugiram
Para um lugar encantado, onde não mais precisavam
Esconder a bondade que havia em seus corações amorosos.

Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in POEMAS QUE CONTAM HISTÓRIAS. Bookmark the permalink.

Leave a Reply