A RAINHA DE ESPERANÇA (Capítulo XXXIX)

Quando o rei Natalício sentou-se à mesa de refeições na manhã seguinte, perguntou a Natanael:

– Onde estão Natália e Catarina?

Natanael respondeu:

– Natália amanheceu indisposta, e Catarina permaneceu no quarto para fazer-lhe companhia.

Constância levantou-se da mesa enquanto dizia:

– Eu subirei para ver como ela está.

Receando que Constância descobrisse a farsa, Natanael apressou-se em dizer:

– Não será necessário. Gumercindo, o médico do quartel, já a examinou e disse que logo ela ficará bem; Natália precisa apenas repousar.

Constância insistiu:

– Eu subirei para ajudar Catarina a cuidar dela. As duas precisam se alimentar.

Natanael endereçou um olhar de impaciência a Durval, antes de dizer a Constância:

– Aproveite sua estadia no palácio. Não há razão para você se preocupar, porque Judith já está auxiliando Catarina.

Constância não perdeu a oportunidade de dizer:

– Eu já sei por que você não quer que eu suba: receia que eu possa magoar Catarina.

Para impedir que ela continuasse, Alfredo sugeriu:

– Poderíamos caminhar um pouco. O ar da manhã lhe fará muito bem.

– É Natália quem está doente, não eu. Natanael pensa que terei uma crise de ciúme ao me deparar com Catarina.

Para provocar Constância, Adelaide aconselhou:

– Aceite o convite de Alfredo: um passeio ajudará você a se acalmar.

Constância pensou em retrucar; mas, em vez disso, revestiu-se de altivez antes de dizer a Alfredo:

– Eu gostaria de jogar uma partida de xadrez. Apenas a concentração no jogo fará com que eu recupere a minha serenidade.

Enquanto Alfredo e Constância deixavam a sala de refeições, Natanael surpreendeu-se ao ouvir o rei Natalício dizer a Durval:

– Vá ao quartel e mande Gumercindo subir ao meu quarto. Talvez ele consiga receitar algo que ponha um fim nesta maldita dor de cabeça!

FIM DO CAPÍTULO XXXIX

Sisi Marques

(NO PRÓXIMO SEGMENTO DA HISTÓRIA “A RAINHA DE ESPERANÇA”, NÃO PERCA O 40º CAPÍTULO.)

Grata,
Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in A RAINHA DE ESPERANÇA. Bookmark the permalink.

Leave a Reply