FLÁVIA E DOUGLAS (Capítulo XXVII)

Já no restaurante, Flávia disse a Douglas:

– Prefiro contar-lhe tudo antes de jantarmos.

– Não pense que a deixarei sair daqui sem comer. Se continuar agindo assim, acabará ficando doente.

– Prometo depois comer um pouquinho.

– Está bem. Pode falar.

Flávia contou a Douglas sobre a sua ida ao apartamento de Lucas, e sobre o telefonema de Hortência. Depois, disse:

– Você é tão paciente comigo… Não teria sido mais fácil se, em vez de eu ter me apaixonado por Lucas, eu tivesse me apaixonado por você?!… Por que a vida tem que ser tão complicada?!… Mas o pior de tudo é como dizer a Elaine que vamos nos casar.

– Flávia, não vamos nos casar; e, mesmo que fôssemos, aposto que Elaine ficaria mais feliz do que você com os planos para o nosso casamento.

– Está enganado… Elaine está apaixonada por você. Só procurou nos aproximar, porque deseja vê-lo feliz. Vocês são tão parecidos… Não teria sido melhor se, em vez de se apaixonar por mim, você tivesse se apaixonado por ela? Tenho a certeza de que você estaria muito mais feliz agora.

– Embora você não sinta por mim o que sente por Lucas, eu sei que, de algum modo, você também me ama. E, para mim, essa certeza já é o suficiente. Você é a mulher que eu amo e amarei para sempre, aconteça o que acontecer. Se há uma coisa que nunca cultivei foi a autopiedade. Desejo, de coração, que você seja feliz ao lado de Lucas.

– Enquanto ele estiver casado com Hortência, isso será impossível! Se fosse você no lugar dele, já teria tomado uma decisão. Elaine estava certa quando disse que eu não poderia esperar nada desse relacionamento. Já decidi: não me tornarei amante dele.

– Agora você está sendo injusta; está distorcendo tudo: Lucas nunca lhe propôs nada disso. Esqueça as bobagens que Hortência lhe disse.

– Como eu poderia esquecer, se ele não reage, se ele chega mesmo a defendê-la?!

– Lucas não reage, porque não deseja ferir você com o seu amor. Ele a ama mais do que eu, porque prefere perdê-la para mim a permitir que você se machuque. Se você o ama de verdade, precisa ajudá-lo a conseguir o divórcio. Pare de sentir pena de si mesma. Abandone a sua redoma de vidro; não deixe que Lucas continue se submetendo aos caprichos de Hortência, somente para poupá-la. Você e Lucas temem que Hortência chegue na sua sala e faça o maior escândalo… Ela não fará isso; e, mesmo que faça, você não morrerá por ouvir meia dúzia de desaforos! Além disso, todos naquela empresa já devem saber do romance de vocês dois. É do seu lado que, quem escutar os gritos de Hortência, ficará. Você não pode desistir de Lucas por uma bobagem.

– E os meu pais?

– Lucas, estando divorciado, estará livre para se casar com você. É só isso o que ele espera desse relacionamento; basta que você tenha paciência e confie.

– Não. Estou mesmo decidida a me casar com você.

– Não sabe o que está dizendo. Uma noite que passasse com Lucas significaria para você muito mais do que se eu lhe dedicasse toda uma vida.

– É você quem não sabe o que está dizendo. Agora que voltamos a ficar noivos, por que não jantamos para comemorar?

– Está bem.

(Não perca, no próximo segmento, o 28º CAPÍTULO da história “FLÁVIA E DOUGLAS”.)

Grata,
Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in FLÁVIA E DOUGLAS. Bookmark the permalink.

Leave a Reply