REALIDADE MÁGICA – LIVRO 1 – PARTE 4 – CIBELE (Capítulos IV, V, VI e VII)

Capítulo IV
A harmonia voltou a reinar em nossas vidas. Anabel começou a trabalhar na biblioteca, e Eliel e Crisélia não fizeram mais nenhuma objeção à nossa amizade. Certo dia, ela disse:

– Eu gostaria de pedir-lhe um favor: convença Eliel a comprar uma casa.

Considerando a ideia absurda, comentei:

– Ele não concordará.

Ela argumentou:

– Eu gostaria de ter um endereço fixo para poder registrá-lo em meu cadastro. Quando você me ajudou a preencher a ficha, colocamos o seu endereço alegando que era temporário. Além disso, eu já reparei que você tem uma vizinha bastante curiosa. É só ela me ver em seu jardim, ela para em frente ao portão e começa a fazer perguntas.

Comentei:

– É estranho. Não sei a quem se refere. Escolhi aquela casa porque é bastante isolada.

Ela explicou:

– É a moradora daquele casarão ao lado. É impossível que você ainda não a tenha visto espiando em uma das janelas.

Eu disse:

– Quando você me pediu para convencer Eliel a comprar uma casa, foi exatamente nessa que eu pensei. Talvez a mulher que você viu estivesse apenas cuidando da limpeza.

Anabel exclamou:

– É possível!

Como faltava apenas uma hora para ela sair, resolvi esperá-la. Para voltarmos, não utilizamos a magia dos anéis. Evitávamos usá-la para não levantar suspeitas. Mal começamos a caminhar, avistamos Eliel vindo em nossa direção. Ele comentou:

– Você poderia dar uma ajuda a Anabel no trabalho. Ela vive se queixando que está sobrecarregada.

Enderecei um olhar a Anabel, esperando que dissesse algo a respeito. Ela confessou:

– Eu sempre deito preocupada com o dia seguinte e demoro a pegar no sono. Há tantas coisas que preciso aprender! Cobri-lo durante poucas horas era fácil porque você logo voltava e resolvia tudo. Agora me sinto assoberbada: eu mal termino uma coisa e aparece outra.

Tranquilizei-a, dizendo:

– Não se preocupe. Amanhã terei o dia livre e estarei lá para ajudá-la.

Ela nem bem agradeceu a minha oferta e fez um sinal que eu logo compreendi do que se tratava. Dirigindo-me a Eliel, comentei:

– Você poderia comprar a casa ao lado da minha. Seria uma forma de nos visitarmos sem recorrermos frequentemente à magia.

Eliel sorriu e beijou o rosto de Anabel antes de me perguntar:

– Por que não confessa: foi ideia de Anabel, não foi? Pode providenciar a compra.

Anabel só não o cobriu de beijos, porque estávamos no meio da rua. Quando fui à imobiliária, fiquei surpreso ao verificar quão fácil foi adquirir aquele antigo casarão localizado a apenas alguns metros da minha casa. Uma semana depois, Crisélia já estava ajudando Anabel a dar uma aparência melhor aos cômodos com alguns toques de magia. Comentou:

– Fiz o que achei necessário. Se algo não estiver do seu agrado, Eliel poderá fazer as modificações.

Anabel, em agradecimento, abraçou Crisélia e beijou-lhe o rosto.

FIM DO CAPÍTULO IV
Sisi Marques

REALIDADE MÁGICA – LIVRO 1 – PARTE 4 – CIBELE
Capítulo V
Aproximadamente um mês depois, enquanto Eliel caminhava pela sala de um lado para o outro, Anabel estava no escritório realizando um trabalho que trouxera da biblioteca. Ele imaginou que enlouqueceria se continuasse mais um minuto naquela casa e subiu para dizer a ela:

– Você está muito ocupada, e eu não quero atrapalhar. Ficarei um pouco na árvore, mas prometo voltar logo.

Colocando a caneta sobre a mesa por um instante, ela sugeriu sorrindo:

– Faremos melhor do que isso. Assim que eu conseguir terminar, também irei para lá. Não está aborrecido?

Eliel mentiu quando respondeu:

– Não. Estarei à sua espera.

Após beijá-la, ele girou o anel e desapareceu diante dos olhos cansados de Anabel. Ela bocejou e espreguiçou-se. Desceu à cozinha para tomar uma xícara de café. Quando retornava ao escritório, passou pela sala e assustou-se terrivelmente ao deparar-se com a mulher que a abordara no portão e lhe acenara das janelas daquela casa. Após recuperar-se do susto, ela perguntou:

– O que faz aqui? Como conseguiu entrar se a porta estava trancada?

A mulher, com um sorriso amistoso, respondeu:

– Engana-se, querida: a porta estava aberta. Deveria ser mais cuidadosa! Perdoe-me se a assustei. Eu não sabia que a casa estava ocupada. Pensei em entrar aqui apenas para verificar se estava tudo em ordem.

Anabel perguntou curiosa:

– Qual é a sua relação com esta casa? Eu já a vi acenando das janelas.

FIM DO CAPÍTULO V
Sisi Marques

REALIDADE MÁGICA – LIVRO 1 – PARTE 4 – CIBELE
Capítulo VI
Enquanto Anabel conversava com a misteriosa mulher; Crisélia e eu ouvíamos o sininho de prata tocar. Segundos depois, aparecia Eliel dizendo:

– Perdoem-me por vir aqui aborrecê-los numa noite de sábado, mas eu precisava que você, Felizardo, fosse em casa ajudar Anabel. Ela passa a semana inteira fora de casa, incluindo o sábado; e, quando volta, traz aquela papelada que a enlouquece. Ela é orgulhosa demais para permitir que eu a ajude usando magia.

Sugeri:

– Dê-lhe um pouco mais de tempo. Em breve, ela já terá superado a maior parte das dificuldades. Ouça o que faremos: tomaremos um sorvete, e depois Crisélia e eu iremos visitá-la.

FIM DO CAPÍTULO VI
Sisi Marques

REALIDADE MÁGICA – LIVRO 1 – PARTE 4 – CIBELE
Capítulo VII
Cerca de meia hora depois, Crisélia e eu fomos à casa de Eliel, e ele voltou à árvore. Optamos por sair de casa e andar até lá, em vez de usarmos a magia dos anéis. Tocamos a campainha e ficamos esperando que ela viesse atender. Os minutos se passavam e nem sinal de Anabel. Verifiquei a maçaneta e certifiquei-me de que a porta estava trancada. Comentei:

– É estranho! Ela já deveria ter vindo atender.

Crisélia sugeriu:

– Toque a campainha novamente. Ela tem que estar em casa. Aonde ela poderia ter ido a essa hora?

Comentei:

– Não faz sentido ficarmos esperando.

Aproveitamos que não estava passando ninguém e, no momento seguinte, já estávamos na sala. Crisélia subiu para ver se Anabel estava no escritório. Minutos depois, ela voltava para dizer:

– Verifiquei em todos os cômodos lá em cima, inclusive no sótão, e ela não está.

Crisélia foi à cozinha, e eu desci ao porão. Quando voltei à sala, ela sorriu antes de exclamar:

– Que tolice a nossa! Estamos nos preocupando à toa! Vou lhe dizer o que aconteceu: enquanto vínhamos para cá, ela girou o anel e foi encontrar-se com Eliel. Vamos voltar para casa.

Quando retornamos, um pressentimento repentino fez com que eu dissesse:

– Certifique-se de que ela está mesmo com Eliel.

Crisélia exclamou:

– Que bobagem! Por que incomodá-los se está tudo bem?! Precisamos parar de nos preocupar tanto com eles.

Cerca de uma hora depois, estávamos sentados no sofá assistindo a um filme quando ouvimos o sininho de prata. Eliel apareceu perguntando:

– Onde está Anabel? Por que ela veio para cá em vez de ir para a árvore?

Crisélia endereçou-me um olhar preocupado antes de responder:

– Nós fomos à sua casa e, como ela não estava, pensamos que estivesse com você.

Impaciente, Eliel disse:

– Se isso é uma brincadeira, escolheram o momento errado. Onde está Anabel?

Aproximei-me dele para dizer:

– Sente-se. Precisamos manter a calma para conseguirmos raciocinar. Ela deve ter usado a magia do anel para ir a qualquer outro lugar. Não teria ela esquecido algum documento na biblioteca?

Eliel levantou-se e, no momento seguinte, já não estava mais ali. Eu disse a Crisélia:

– Irei atrás dele. Avise-nos se Anabel voltar.

Ela começou a rir, e eu perguntei:

– Como consegue rir numa hora dessas?

Mantendo o riso, ela comentou:

– Você está de pijama. Que explicação daria ao vigia se ele o visse assim?!… Fique aqui; eu irei ao encontro de Eliel.

FIM DO CAPÍTULO VII
Sisi Marques

Não perca os Capítulos VIII e IX da 4ª Parte (Cibele) da história “Realidade Mágica” –
livro 1, na próxima 4ª feira, dia 17/07/13.

Até breve.
Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in REALIDADE MÁGICA LIVRO 1 - PARTE 4 (CIBELE). Bookmark the permalink.

2 Responses to REALIDADE MÁGICA – LIVRO 1 – PARTE 4 – CIBELE (Capítulos IV, V, VI e VII)

  1. Maria Inês Marques says:

    Oi, Sisi, seu conto está muito legal. Quando posso, leio; é bastante interessante. Continue escrevendo.

  2. Disney Almeida says:

    Oi, Sisi, são muito interessantes seus contos. Estou me empolgando com a leitura. Continue.

Leave a Reply