O PRÍNCIPE GUILHERME E A FADA DA FLORESTA (4ª Parte)

Dois meses após o casamento, Elisa estava no jardim do castelo onde Guilherme nascera; e ficou muito assustada ao perceber que alguém a observava do lado de fora do portão. Era um jovem vistoso, que parecia querer arrancá-la daquele lugar com o olhar.

Elisa pensou em contar a Guilherme, mas desistiu por não querer preocupá-lo. Ela passou a evitar o jardim, com receio de tornar a ver aquele homem.

Mais um mês se passou antes que Guilherme e Gouveia tivessem o diálogo a seguir:

– O que houve, Gouveia? Você parece preocupado.

– Guilherme, eu nunca vi você tirar Elisa para dançar. Eu nunca vi vocês se beijando. Você precisa demonstrar que a ama.

– Eu não amo Elisa. Pelo menos, não por enquanto. Não posso fingir o que não sinto.

– Há uma pergunta que preciso lhe fazer: Você percebeu alguma diferença no comportamento de Elisa?

– Para ser franco, notei sim. Ultimamente ela parece não se importar mais comigo. Está sempre tão calada, tão distante…

– Guilherme, eu receio que Elisa esteja apaixonada.

– Eu sempre soube que ela me ama.

– Você não compreendeu. Elisa parece estar apaixonada por alguém que a ama muito. Talvez você nem venha a se importar com isso. Se não a ama, certamente não sente ciúme.

– Como você pôde trair a minha confiança?!…

– Calma, meu amigo! Juro que não tenho nada a ver com essa história. Só estou tentando ajudá-lo.

– Por favor, diga logo o que tem a dizer.

– Há três noites, eu tenho sempre o mesmo sonho: Levanto-me, e um duende vem ao meu encontro. Ele me conduz à floresta e diz: “Conte o que vê a Guilherme; você precisa ajudá-lo.”

– E o que você vê?

– Um casal apaixonado dançando ao luar. A moça é Elisa; o rapaz, eu não conheço. Quando a dança termina, ele a beija; e, depois, os dois começam a colher flores. Eles parecem muito felizes juntos.

– Gouveia, não minta para mim.

– Eu nunca menti. De alguma forma, consegui entrar no sonho de Elisa. Lamento dizer que é com outro homem que ela sonha.

– Faltam ainda quatro meses…

– Esqueça essa tolice! Se você não demonstrar o seu amor, irá perdê-la.

– Talvez seja apenas um sonho…

– Não creio. É melhor eu lhe contar tudo: O duende disse quem é o rapaz: é o filho da fada da floresta. Ele está tentando tirar Elisa de você.

– Se nem de amor eu entendo, como posso lidar com o meu rival?… Gostaria de pedir-lhe um favor: mesmo que Elisa lhe conte sobre os sonhos, finja não saber nada sobre eles. Evite deixá-la embaraçada.

– Quando você conseguirá compreender que a ama?

– Eu não a amo.

(Não perca a 5ª Parte da história “O Príncipe Guilherme e a Fada da Floresta”, na PRÓXIMA 5ª FEIRA, dia 11/07/13.)

Até breve.

Sisi Marques

About Sisi Marques

Adoro escrever e amo este blog. As histórias só florescem quando um coração generoso se abre para recebê-las. Quando não há alguém para ouvi-las, elas não desabrocham e morrem na terra do esquecimento. A sua audiência há de transformar este blog num imenso e perfumado jardim. Obrigada.
This entry was posted in O PRÍNCIPE GUILHERME E A FADA DA FLORESTA. Bookmark the permalink.

Leave a Reply